Blog

Em janeiro, IPCA-15 varia 0,67%

CestaEm janeiro, IPCA-15 varia 0,67%

PERÍODO
TAXA
Janeiro 2014
0,67 %
Dezembro 2013
0,75%
Janeiro 2013
0,88%
Acumulado no ano
0,67%
Acumulado 12 meses
5,63%

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) teve variação de 0,67% em janeiro e ficou 0,08 ponto percentual abaixo da taxa de 0,75% registrada em dezembro. Considerando os últimos 12 meses, o índice está em 5,63%, abaixo dos 12 meses imediatamente anteriores (5,85%). Em janeiro de 2013, a taxa havia ficado em 0,88%. A publicação completa do IPCA-15 pode ser acessada na página:
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/ipca15/defaultipca15.shtm

Responsável pelo recuo do IPCA 15 de um mês para o outro, o grupo Transporte passou de 1,17% em dezembro para 0,43% em janeiro, refletindo a queda de 16,32% nos preços das passagens aéreas que gerou o menor impacto individual para baixo, -0,10 ponto percentual. A gasolina, por outro lado, deteve 0,11 ponto percentual, o mais forte impacto individual, já que o litro ficou 2,90% mais caro. Além da gasolina, destacaram no grupo, o etanol (4,34%) e o óleo diesel (3,52).

Os artigos de residência (de 0,57% em dezembro para 0,49% em janeiro) e vestuário (de 0,78% para 0,59%) também tiveram influência na redução do índice. Os menores resultados em janeiro, do mobiliário (de 1,07% para 0,49%) e dos eletrodomésticos (de 1,27% para 0,92%) contribuíram para a menor taxa dos artigos de residência.

Já o grupo Habitação apresentou taxas próximas, com 0,59% em dezembro e 0,58% em janeiro. Alguns itens continuaram em alta, como o aluguel residencial (0,87%), condomínio (0,79%) e mão de obra para pequenos reparos (0,96%). Energia elétrica e gás de botijão, porém vieram com queda de 0,12% e 0,24%, respectivamente.

O maior resultado de grupo ficou com Despesas Pessoais (de 1,18% em dezembro para 1,31% em janeiro) com destaque para: excursão (9,45%), cigarro (3,62%), cabeleireiro (1,36%), manicure (1,15%) eempregado doméstico (1,02%). Os alimentos vieram a seguir, passando de 0,59% em dezembro para 0,96% em janeiro. As carnes com variação de 3,91% e impacto de 0,10 ponto percentual, o segundo maior impacto individual do mês, foi o destaque do grupo. Outros itens importantes no orçamento das famílias também apresentaram resultados elevados como a cenoura (16,30%), cebola (14,33%), frutas (4,34%), hortaliças(4,57%) arroz (1,49%), pão francês (1,04%), refeição fora (0,94%) e lanche fora (0,95%).

O grupo Educação (de 0,00% em dezembro para 0,50% em janeiro) foi influenciado pelo resultado dos cursos regulares (0,34%) que refletiu os reajustes dos colégios da região metropolitana de Porto Alegre (4,42%).

Sobre os índices regionais, o maior foi o de Recife (1,06%), em virtude, principalmente, do aumento nos preços dos alimentos (1,76%), além da alta dos serviços de manicure (8,70%) e de cabeleireiro (5,92%). Já o mais baixo ocorreu em Brasília (0,03%), onde as passagens aéreas, com peso de 2,74% e variação de -17,27%, causaram impacto de -0,47 ponto percentual, além da queda de -3,86% nas tarifas de energia elétrica. A seguir tabela com resultados por região pesquisada.

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 13 de dezembro a 15 de janeiro (referência) e comparados com aqueles vigentes de 12 de novembro a 12 de dezembro (base). O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA; a diferença está no período de coleta dos preços.

Comunicação Social
23 de janeiro de 2014]

Fonte IBGE

Sobre a FLS Pesquisa

Empresa especializada em pesquisas e marketing, com objetivo de melhorar a qualidade dos serviços e produtos dos parceiros e clientes, primando sempre pelo planejamento, autenticidade, prazo e eficiência.

Tel.:+55(11) 2362-6499 | fls@flspesquisa.com.br

Logo-Conre